zoom

Big Bang faturou mais do que o Maroon 5 no último ano, diz Forbes


Grupo faturou US$ 44 milhões no último ano com venda de discos e turnês

Big Bang

Que o Big Bang é um dos grupos mais bem sucedidos de toda a Ásia, já não é nenhuma novidade para os fãs da música coreana. Agora, a revista americana Forbes divulgou dados sobre o reflexo de toda essa popularidade em uma perspectiva financeira. Segundo a bíblia dos magnatas, o Big Bang faturou US$ 44 milhões (cerca de R$ 150 milhões, na cotação atual) no último ano. As informações foram divulgadas no artigo “Teoria do Big Bang: como um dos maiores nomes do k-pop lucrou US$ 44 milhões em um ano”, que será publicado na edição do dia 26 de julho da revista.

A publicação destacou que o número é bem superior ao arrecadado pelos americanos do Maroon 5, que com US$ 33,5 milhões (cerca de R$ 110 milhões), formam o grupo pop masculino dos Estados Unidos que mais faturou no último ano. A Forbes adiantou também que o Big Bang fará parte da sua tradicional lista de 100 celebridades mais influentes do mundo e ressaltou a relevância do quinteto coreano em termos de popularidade.

“Nós lucramos mais que o Maroon 5? Eu não fazia ideia disso. Minha mãe cuida de tudo que eu recebo”, disse o líder do Big Bang, G-dragon, à Forbes. Curiosamente, G-dragon começou sua carreira no Big Bang com uma versão de “This Love”, hit do grupo liderado por Adam Levine.

A revista pontou, no entanto, que não é apenas a progenitora de G-dragon a responsável por suas finanças e sim a gravadora YG Entertaiment, responsável não apenas pelo Big Bang mas também pelo grupo 2NE1 e o rapper PSY, da icônica “Gangnam Style”. Segundo a Forbes, a empresa lucra não apenas com a venda de discos de seus artistas, mas também com o gerenciamento de talentos e promoção de turnês. A venda de álbuns gera apenas 25% dos lucros da YG Entertainment, sendo o maior valor oriundo do cachê dos shows realizados. Grande parte graças ao Big Bang, que arrecadou em bilheteria cerca de US$ 2,6 milhões (cerca de R$ 8 milhões) por show em sua mais recente turnê, “Made”, que teve 66 shows desde o ano passado, passando pela Ásia, América do Norte e Oceania.

Para Yang Hyunsuk, fundador da YG Entertainment, esse sucesso se deve a distribuição e facilidade de acesso à música digital.

“No passado tínhamos diversas limitações para distribuir e acessar a música. Agora, na era digital, as fronteiras geográficas são insignificantes”, disse Yang.

Atualmente, a gravadora investe pesado no mercado internacional, especialmente no norte-americano, tendo PSY e CL, do 2NE1, chamado a atenção de Scooter Braun, empresário que já trabalhou com nomes como Justin Bieber e o DJ Martin Garrix. Enquanto o fato de um grupo coreano ter faturado quantias bem superiores a Garrix e quase tanto quanto Bieber pareceu surpreender a Forbes, Yang Hyunsuk não se mostrou nada espantado.

“Eu não estou surpreso com o sucesso deles. Sempre tive certeza que eles seriam amados pelo mundo todo”, disse o manda-chuva da YG Entertainment.

Por ShaKin’ Pop


Deixe seu comentário


Envie sua matéria


Anexar imagem de destaque