news

Harry Styles faz show no Rio de Janeiro e mostra que tem a melhor fã base do mundo


O cantor se apresentou ontem (27), na Jeunesse Arena, no Rio de Janeiro, pela primeira vez com seu álbum solo

Foto: Alexandre Levy

Harry Styles teve um grande ano após lançar seu primeiro álbum solo. O autointitulado rendeu hits como ‘Sign Of The Times’ e ‘Kiwi’, o consolidou como um artista solo e conquistou fãs no mundo inteiro, especialmente no Brasil. A maior parte de seus fãs são originalmente do One Direction, uma das maiores boy bands da história em que o cantor fazia parte, mas ainda sim, ontem (27), presenciei algo inacreditável.

O cantor se apresentou no Rio de Janeiro pela primeira vez em quatro anos. Os fãs, que se tornaram jovens adultos, estavam em peso no local para mostrar todo o seu amor ao astro que resolveu começar “do zero” sua carreira. Desde a entrada na arena, era perceptível a animação do público caloroso. Os símbolos da turnê de Harry levam ativismos e mensagens de compaixão pelo próximo. Inúmeras bandeiras LGBTQs (embora ele não seja abertamente homossexual) e frases como “be kind” (seja legal) ou “treat others with kindness” (trate os outros com bondade) eram vistas em camisas, bonés e cartazes. Além de música, o cantor está levando uma ótima mensagem às próximas gerações.

Ícone LGBTQ! ️‍ Essa é a fila para o show do Harry Styles no Rio! #harrystyles #jeunessearena #lgbtq

Uma publicação compartilhada por Midiorama (@midioramaoficial) em

Ao começar o ato de abertura, Leon Bridges, era possível observar a ansiedade de todos. Ele apresentou um estilo R&B com gospel e blues que foi muito bem recebido pelo público que prefere um pop ou pop/rock. Um grande destaque de seu show foi Brittni Jessie, a backing vocal que toda vez em que aparecia no telão levava o público ao delírio.

Enquanto a equipe da produção preparava o palco para o ato principal, músicas como “Man!”, de Shania Twain, e ‘Bohemian Rhapsody’, do Queen, viravam coros altos, o que mostra o poder dos hits atemporais (e que o público jovem do cantor liga para música boa). “Harry, eu te amo!”, era o coro que convidava o astro a entrar no palco e ver aquele mar de fãs que driblou as dificuldades de transporte para chegar no show de seu ídolo.

O ex-One Direction subiu ao palco pontualmente, como um clássico britânico. Muito barulho! Logo na segunda faixa, em ‘Woman’, tivemos a primeira homenagem. Foram levantados balões rosas pela plateia, e pela primeira vez, os balões tomara a arena inteira, o que não costuma dar muito certo, embora seja uma homenagem frequente entre os brasileiros. Harry se impressiona com a animação do público.

Toda vez em que ele citava o público, o pessoal parecia entrar em colapso. Styles conversou com os fãs bastante. Por sinal, eu acho que nunca vi tanta interação entre um ídolo e seus fãs. Inclusive, ele fez questão de agradecer aos presentes pois sabia da greve dos caminhoneiros que dificultou a chegada na arena.

‘Just A Little Bit Of Your Heart’ foi uma das partes mais emocionantes. A faixa que foi escrita e dada à Ariana Grande foi cantada à plenos pulmões. Em certo momento, jogaram bolas para ele fazer malabarismo. Sim, e ele fez. Muito simpático!

Antes de ‘Sweet Creature’, ele corre até um b’stage no meio do público. Durante essa performance era possível ver no telão a emoção que ele segurava enquanto cantava uma das melhores faixas de seu álbum de estreia.

Quando seu ídolo passa pertinho de você! #harrystyles #harrystyleslive #harrystylesontour #jeunessearena

Uma publicação compartilhada por Midiorama (@midioramaoficial) em

Após agradecer, ele cita uma tatuagem que havia feito há quatro anos em homenagem ao Brasil e o público surta. ‘If I Could Fly’, um dos grandes sucessos do One Direction é cantada enquanto todos se emocionam. Era possível ouvir soluços de choros a minha volta. Foi tão alto que em um momento, ele preferiu ficar calado, enquanto os fãs cantavam em coro.

Harry voltou ao palco principal para canta ‘Anna’ e ‘What Makes You Beautiful’, maior sucesso do 1D. A partir de então surge a melhor homenagem já vista. Em ‘Sign Of The Times’, os fãs dividiram a arena em partes e distribuiu instruções com papéis coloridos. Nessa hora, todos colocaram esses papéis em suas lanternas de celular e as luzes formaram a bandeira LGBTQ na arena. Incrível! Nunca havia visto uma homenagem tão milimetricamente pensada.

Em ‘From The Dining Table’, com um tom mais baixo, os fãs organizaram a última homenagem: um silêncio jamais visto em um show deste porte. Tudo para ouvir ele cantando da maneira mais emocionante possível – e deu certo! Harry foi embora ao som de ‘Kiwi’ e prometeu não demorar mais quatro anos para voltar. Definitivamente, não tem como esperar tanto com uma fã base tão incrível como essa!

Confira a setlist:
‘Only Angel’
‘Woman’
‘Ever Since New York’
‘Two Ghosts’
‘Carolina’
‘Stockholm Syndrome’
‘Just a Little Bit of Your Heart’
‘Medicine’
‘Meet Me in the Hallway’
‘Sweet Creature’
‘If I Could Fly’
‘Anna’
‘What Makes You Beautiful’
‘Sign of the Times’
‘From the Dining Table’
‘The Chain’
‘Kiwi’

Por Alexandre Levy


Deixe seu comentário


Envie sua matéria


Anexar imagem de destaque