press

Soundhearts Festival reúne 30 mil pessoas em sua última apresentação no Brasil, em São Paulo


Depois de passar por Rio e São Paulo, o festival segue para Colômbia

 

Radiohead Credito Stephan Solon (1)
Fotos do show de São Paulo na galeria do release.

Depois de uma noite memorável no Rio de Janeiro, onde 10 mil pessoas marcaram presença na Jeunesse Arena, no Rio de Janeiro, o SOUNDHEARTS Festival fechou as suas apresentações no Brasil no Allianz Parque, em São Paulo, para um público de 30 mil pessoas. Agora o festival segue para a Colômbia.

Radiohead Credito Stephan Solon (14)
Radiohead no Allianz Parque, em São Paulo – Crédito: Stephan Solon

Realizado pela MOVE Concerts, o line up desta edição incluiu o músico, cineasta, produtor, DJ e rapper norte-americano Flying Lotus; o grupo Junun, formado pelo guitarrista Jonny Greenwood com o israelense radicado na Índia Shye Ben-Tzur, também se apresenta no evento que conta ainda com a participação dos brasileiros do Aldo the Band.

A turnê brasileira é apresentada pelo Banco do Brasil e patrocinada pela Itaipava e TNT Energy Drink. O Hospital Sancta Maggiore é o fornecedor oficial de serviços médicos em São Paulo.

Informações em soundheartsfestival.com.br/

DATAS DO SOUNDHEARTS FESTIVAL

14.04.18 – BUENOS AIRES, ARGENTINA
17.04.18 – LIMA, PERU
20.04.18 – RIO DE JANEIRO, BRASIL
22.04.18 – SÃO PAULO, BRASIL
25.04.18 – BOGOTÁ, COLÔMBIA

Sobre o RADIOHEAD

Radiohead Credito Alex Lake

Radiohead é um dos grupos musicais mais populares e celebrados das duas últimas décadas, tanto pelos críticos musicais como por sua sempre crescente e fiel base de fãs.  Os cinco integrantes de Oxfordshire veem constantemente superando seus próprios limites a cada novo trabalho, tendo iniciado com uma roupagem de rock, no início dos anos 90, e lentamente avançando para explorar estruturas e tons mais novos e desafiadores.

Sua história como banda remonta a meados dos anos 80, quando ainda frequentavam a mesma escola em Abingdon, na Inglaterra, sob o nome On A Friday. Durante seus anos universitários, eles permaneceram em contato até que se reencontrarem no início dos anos 90 para se concentrar em levar o projeto mais a sério. A banda encontrou gerenciamento e assinou com a EMI Records em 1991, mudando seu nome para Radiohead.

O primeiro álbum do grupo, Pablo Honey (1993) apresentou uma nova banda com uma pegada mais suave, com influências como Pixies e Sonic Youth, coroado pelo famoso single “Creep”.

Com The Bends (1995), eles apresentaram um som mais ambicioso e complexo em músicas como “Just” e “My Iron Lung”, mas também mostraram singles mais tradicionais, como “Fake Plastic Trees” e “High & Dry “. Embora originalmente não tenho sido abraçados pelas então rádios de rock moderno, isso já significava apenas que a banda estava em um caminho próprio, livre de conceitualizações.

Finalmente, com o OK Computer (1997), o Radiohead atingiu o status de “legenda do rock” ao entregar um álbum que lidava com tópicos como alienação e perda de humanidade na era da tecnologia da informação. O trabalho ainda é considerado um dos álbuns essenciais dos anos 90, e seus temas parecem ainda mais relevantes – talvez até premonitórios – nesta época do mundo.

Após o enorme sucesso do OK Computer, o Radiohead voltou com o lançamento de  Kid A (2000), um disco eclético, sintetizado e quase sem guitarras, que conquistou os primeiros lugares dos dois lados do Atlântico e é considerado um dos melhores álbuns da década de 2000.

As sessões Kid A foram tão produtivas que havia material suficiente para lançar dois álbuns. O “irmão” de Kid A é Amnesiac (2001), mostrando uma coleção de música eletrônica e jazz, incluindo seu primeiro single “Pyramid Song”.

Hail to the Thief (2003) misturou o som de tudo o que Radiohead tinha feito em uma coleção de músicas com um tom de protesto e uma estrutura de rock mais tradicional.

Em 2007, o Radiohead, já fora do contrato com a EMI, decidiu lançar seu próximo álbum de maneira independente. E Rainbows (2007) não foi apenas o depoimento de uma banda trabalhando livremente com um retorno a singles mais íntimos como “All I Need”, “House of Cards” e “Nude”, mas também um trabalho que ofereceu aos fãs a possibilidade para escolher o quanto eles queriam pagar pelo download digital (incluindo zero, se assim o desejassem) provocando uma controvérsia em toda a indústria em torno do valor da música gravada.

Seu oitavo álbum, The King Of Limbs (2011), trouxe o Radiohead de volta ao território experimental, liderado pelo single “Lotus Flower”. Desta vez, a banda usou fragmentos pré-gravados mixados junto com as gravações, além de lançar vários singles independentes e um álbum remix. Isso foi mais um novo desafio para a performance da banda ao vivo, já que tiveram que reaprender a tocar essas músicas (acompanhados pelo membro da turnê Clive Deamer na bateria).

Depois de um breve hiato onde a banda se concentrou principalmente em seus próprios projetos paralelos, o Radiohead lançou A Moon Shaped Pool (2016), extremamente bem recebido pelos fãs e críticos, graças aos singles “Burn The Witch” e “Daydreaming”, com um lindo video musical dirigido por Paul Thomas Anderson.

Em 2017, o Radiohead anunciou uma edição especial de 20º aniversário do OK Computer. OKNOTOK não foi somente uma remasterização das fitas analógicas originais, mas também foi a primeira vez que a banda abriu seus cofres para os fãs, lançando “I Promise”, “Man of War” e “Lift”, bem como material gravado durante as sessões de OK Computer nunca antes ouvido. O lançamento foi celebrado com uma apresentação como headliners no palco Pyramid do Glastonbury Festival, marcando com esta performance lendária um novo destaque na carreira da banda.

No topo de sua carreira, tanto ao vivo quanto no estúdio, o Radiohead está pronto para embarcar na etapa final de sua turnê mundial A Moon Shaped Pool para a América do Sul em 2018, quando visitará o Chile, Argentina, Peru, Brasil e Colômbia.

Radiohead é formado por Colin Greenwood – baixo; Jonny Greenwood – guitarra, synth, misc; Ed O’Brien – guitarra; Phillip Selway – bateria e Thom Yorke – vocais, guitarra, piano.

Flying Lotus

Steven Ellison, produtor e músico americano mais conhecido como Flying Lotus ou FlyLo, nasceu em Los Angeles, California, e se destacou como um dos grandes nomes da música eletrônica experimental no início do século XXI. O artista, que também é DJ e rapper, já lançou cinco álbuns ao longo de sua carreira: “1983” (2006), “Los Angeles” (2008), “Cosmogramma” (2010), “Until the Quiet Comes” (2012) e “You’re Dead!” (2014). O último, que contou com participações de Kendrick Lamar, Snoop Dogg e Herbie Hancock, recebeu resenhas entusiasmadas da crítica especializada.

Junun

O Junun é a união do guitarrista do Radiohead, Jonny Greenwood, o israelense Shy Ben Tzur e a banda indiana The Rajasthan Express. O projeto teve como objetivo gravar um disco e fazer um filme, que foi lançado em 2015 e trouxe Greenwood ao lado dos companheiros no projeto, gravando, ensaiando e testando bases, além de trazer músicas cantadas em outros idiomas: hebraico, hindu e urdu.

Aldo, The Band

Aldo, The Band é um quarteto conduzido pelos irmãos paulistanos André e Murilo Faria e ao vivo ganha a companhia dos músicos Fabio Pinczowski e Érico Theobaldo. A banda trabalha com o gênero indie-dance do Brasil para o mundo e são responsáveis pelos álbuns Is Love e Giant Flea, que levaram o grupo a uma turnê na Europa: participaram do show no Primavera Sound, em Barcelona, se apresentaram em Liverpool e na Itália e gravaram disco no estúdio do AIR, a famosa dupla francesa de música eletrônica. Neste ano lançaram o álbum 2014 – 2017 Fleas, Bureaucracy & Demos, um compilado com 43 músicas que retrata o que Aldo viveu nos últimos anos.

Sobre a MOVE Concerts

Move Concerts é o maior promotor de concertos independente da América Latina. Com escritórios na Argentina, Brasil, Colômbia, Costa Rica, República Dominicana, Peru e Porto Rico, além de nossa sede regional em Miami, Move Concerts construiu a rede mais extensa da América Latina – excluindo o México – com um único objetivo: fornecer o melhor experiência de concerto para fãs, artistas e nossos clientes corporativos.

William Crunfli é um dos maiores nomes do show business nacional, tendo sido responsável pela realização de eventos como John Mayer, Iron Maiden, Shakira, Bob Dylan, Coldplay, Black Eyed Peas, entre muitos outros. Phil Rodriguez é considerado um dos quatro nomes mais importantes do entretenimento mundial, uma lenda viva do mundo do showbusiness. Juntos, eles realizaram uma série de grandes shows e turnês internacionais como as de Iron Maiden, Ed Sheeran, Katy Perry, Red Hot Chilli Peppers, Eric Clapton, Beyoncé, Bon Jovi e Bruce Springsteen, entre muitos outros.


A MIDIORAMA é responsável pela ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO deste evento, não tendo qualquer envolvimento ou responsabilidade sobre a produção, organização, venda de ingressos, agenda ou programação do mesmo. Qualquer assunto relacionado à venda de ingressos deve ser tratado diretamente com a empresa responsável por sua comercialização.


Formulário de credenciamento


Instituição

Editoria

Credenciado 1


Deixe seu comentário


Envie sua matéria


Anexar imagem de destaque